quinta-feira, março 27

Encontro do FLADEM - 1º a 5 de maio - Foro Latinoamericano de Educación Musical

Olha só que bacana: entre final de abril e início de maio estarei representando o Brasil no Encontro do Fladem. Minha proposta "Poética de la canción brasileña" foi aceita e constará na programação como um dos cursos oferecidos aos professores de música de toda América-Latina. O Evento ocorrerá em Mérida, México, entre os dias 1º e cinco de maio. Minha ida será bancada pelo Ministério da Cultura, através do edital de difusão cultural e intercâmbio. Vamos tratar, neste curso, sobre a utilização da canção como linguagem, explorando suas potencialidade na sala de aula.

segunda-feira, março 17

Espetáculo apresenta produções de escola em tempo integral
Um espetáculo de dança e música mostrará, amanhã, 29, um pouco do que a Escola Municipal de Ensino Fundamental Neusa Goulart Brizola realiza por meio do projeto Cidade Escola. A iniciativa é do grupo de danças da escola e conta com a participação de cerca de 50 alunos atendidos nos núcleos de dança e música no turno inverso ao das suas aulas. A apresentação ocorrerá no palco do Teatro de Câmara Túlio Piva (Rua da República, 575, Cidade Baixa), das 19h às 21h.

Frevo, côco, samba, ciranda, danças tradicionais gaúchas e de fandango, tango, percussão, flauta doce e poesia serão algumas das atrações que desfilarão pelo palco do teatro. A entrada é franca. Integrante da coordenação do evento, Leandro Maia destaca que o grupo de danças da escola existe há mais de dez anos e, pela sua importância, foi incorporado ao projeto-piloto de escola em tempo integral, intitulado Cidade Escola.

Maia acrescenta que, além da dança, o projeto Cidade Escola implementado na Neusa Brizola em 2006 conta com núcleos de música, informática, letramento, esporte, teatro e artes visuais. Maia explica que a escola levará ao Túlio Piva o espetáculo Costurando expressões, "dividindo com o público as experiências artísticas que realizamos, no dia-a-dia da escola, nos núcleos de dança e no projeto Som da Cidade do núcleo de música”, observa.

Som da cidade
Tratar a educação musical como política pública, a partir de um viés pedagógico, é o objetivo do projeto pioneiro na Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre, ‘Som da Cidade’. Desenvolvido inicialmente, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Neuza Goulart Brizola (Rua Monsenhor Rubem Neis, s/n°, Cavalhada), o projeto abrange, desde agosto, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Migrantes (rua Severo Dúlios, 165, bairro São João). A Migrantes também integra o projeto de educação em tempo integral ‘Cidade Escola’.

O “Som da Cidade” propicia envolvimento musical global dos alunos por meio do aprendizado de instrumentos musicais, canto e práticas de conjunto, como a organização de coros, pequenas orquestras e conjuntos de música popular. Idealizador do projeto, o professor Leandro Maia enfatiza que a educação musical articula conhecimentos, disciplinas escolares e diversas esferas do Poder Público, como educação, cultura e assistência social.
Alunos da Rede abrem show da Ultramen e Gabriel, O Pensador

13/12/2007




.


O show de percussão do grupo Tamborilando da Rede Municipal de Ensino, a Banda Ultramen e o cantor Gabriel, O Pensador foram uma das últimas atividades das “Conversações Internacionais: composições do pensamento educacional”, promovida pela Secretaria de Educação de Porto Alegre, na tarde de hoje, 13, no parque Maurício Sirotsky Sobrinho, Harmonia. O show oferecido aos alunos e professores das escolas da Rede Municipal de Ensino, agitou a tarde do último dia do evento, que iniciou na segunda-feira, dia 10 e será encerrado com a posse dos diretores eleitos das escolas.

O grupo Tamborilando, liderado pelo professor Leandro Maia, executou ritmos como Afoxé, Olodum e Maracatu. De acordo com Leandro, o trabalho do grupo ganhou força com a união de várias escolas. O grupo é formado por alunos das escolas municipais de Ensino Fundamental Vila Monte Cristo, Neusa Goulart Brizola, Aramy Silva, Migrantes, Heitor Villa Lobos, Décio Martins Costa e Professor Elyseu Paglioli, e coordenado com o apoio da professora de artes Ângela Lopes.




A iniciativa da Smed de oportunizar o conhecimento e o contato com diferentes culturas aos alunos da Rede foi elogiada pelo vocalista da Banda Ultramen. “É muito interessante esta iniciativa da Prefeitura de Porto Alegre, fazer com que esta gurizada se engaje em projetos como este é muito bom, tudo é arte”, enfatiza Tonho Crôco.

O evento ocorreu de 10 a 13 dezembro e contou com dez conferencistas, além da apresentação e exposição de trabalhos de alunos e professores da Rede de Ensino de Porto Alegre.
Estimados amigos ticos,



Estoy en Brasil pensando mucho en ustedes. Perdón pela carta abierta a todos, pero el trabajo me dejo sin el tiempo que yo gustaría para poder escribir para cada uno.

La viaje de vuelta se quedó muy difícil – por demasiado larga, por demasiado sola. Hay un escritor brasileño – Márcio de Souza – que dice que existen viajes de cura, descanso, y viajes de contaminación. Creo que en Costa Rica me quedé contaminado por la comida, por la música, la charla, los vinos, los colones, los buses Coopana, las panaderías de San Luís, las canciones, las universidades, por "El Pomodoro", por Solentiname, por los semáforos con sonido de piano y pájaros de San José, por quijongos, marímbúlas, fagotes, guitarras, Garífunas, poesía, el CPA, Cahuíta, el Poás – que no quise dejarse ver y Fergunson que no he podido vernos, por el sol de la tarde en las montañas, por el frío y la lluvia de ciertas horas del día.

Estoy en fase de adaptación: Porto Alegre es una ciudad con mucho calor, las monedas se parecen muy pequeñas para mis manos acostumbradas con las monedas grandes de Costa Rica. Todo el dinero aquí parece falso. ( en la realidad que todo dinero es falso todavía …) Dentro del aeropuerto yo tuve ganas de comprar todo: llaveros, bebidas, discos, camisetas, café, todo. Un sentimiento terrible de pierda – creo que es por eso que los antiguos querían ser enterrados con todas sus cosas, celosos de la vida de los otros. Mi papa cumple 75 años de edad hoy, yo tuve ganas de hablar cada vez más con el para conocer sus historias – como aquella vez en que trabajo como profesor en una comunidad de alemanes al sur de Brasil, sin saber hablar nada, con la piel oscura y diferente de los otros.

Yo dice a Maria que este viaje se quedó para mi realmente como un proceso de iniciación, una entrada dentro de mi mismo, por medio de los otros, un conjunto de espejos, reflejos y contrastes, con los ojos cerrados e mucha atención. Como todo proceso de cambio, tenemos que confiar en nuestros guiadores. No estoy arrepentido de la confianza, estoy seguro de que nuestra latinidad – ibérica, indígena y negra – que es extremamente compleja, linda, y al mismo tiempo sencilla y fascinante, como fragmentos quebrados de un espejo que refleja y disfraz dejando amplia nuestra percepción de la vida.

Un gran e afectuoso abrazo. Ojalá verlos nuevamente.

Leandro Maia
DIRETRIZES PARA UM

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MUSICAL DA RME DE PORTO ALEGRE


PORTO ALEGRE, NOVEMBRO DE 2007.





APRESENTAÇÃO


O presente documento representa um passo definitivo para a construção de um Programa de Educação Musical para o município de Porto Alegre. É o resultado de uma série de ações e debates ocorridos entre os professores de música na rede em consonância com músicos e educadores de todo o país, reunidos através da ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical) e FPM (Fóruns Permanentes de Música de todo o país através dos Grupos de Trabalho de Formação).
O Programa de Educação Musical de Porto Alegre parte do reconhecimento da enorme potencialidade de nossas escolas e comunidades, ao mesmo tempo em que compreende a necessidade de articulação e fomento destas potencialidades por parte do poder público do município. A Educação Musical – que tem a vocação de transversalizar diversas esferas do governo como educação, cultura, juventude e assistência social – deve ser articulada como política de Estado que garanta o acesso de todos.

JUSTIFICATIVA

A adoção de um Programa de Educação Musical é uma iniciativa que traz benefícios para a cidade como um todo. Uma verdadeira obra de infra-estrutura musical. Um grande plano-diretor cultural. Uma tomada de consciência do poder público para as questões da arte como conhecimento e mercado. Educação Musical, formação de público, fomento ao turismo cultural, geração de emprego e renda, incentivo ao consumo cultural de bens e serviços são decorrência do investimento em educação musical. A consolidação da identidade da cidade como capital cultural do Mercosul, onde orquestras, escolas de samba, regionais de chorinho e grupos nativistas se encontram, se potencializa enormemente através de um programa educacional amplo e dinâmico. Além disso,
1. A música é uma forma específica de conhecimento e uma manifestação cultural presente em todas as sociedades humanas.
2. A música é fruto da interação social e é essencial para o desenvolvimento do ser humano.
3. A Educação Musical é um direito de todos. Como tal, deve ser garantida no espaço escolar e oferecida para todas as idades através de atividades que contemplem as diversidades.

O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MUSICAL DE PORTO ALEGRE CONSISTIRÁ NAS SEGUINTES AÇÕES:

a) no ensino específico de música para alunos da rede municipal através do aprendizado de instrumentos musicais, do canto e da realização de práticas de conjunto tais como a organização de coros, pequenas orquestras e conjuntos de música popular de câmara. Esta iniciativa será articulada através da Escola de Música de Porto Alegre ;

b) o engajamento e a sensibilização dos professores, da comunidade escolar e dos gestores públicos para a importância da música como ciência, arte e linguagem;

c) a realização de circuitos de intercâmbio cultural por meio de apresentações e trocas de experiências entre as escolas e grupos musicais da rede;

d) protagonismo itinerante, que consiste na formação de grupos de alunos-monitores maiores de 14 anos, que já participam com destaque em projetos sócio-educativos e de conjuntos musicais existentes na rede . Constituirão um grupo de auxiliares para as aulas de música e atuarão junto aos professores nas classes e apresentações, tendo reuniões semanais de preparação. O protagonismo é itinerante uma vez que os alunos terão a oportunidade de estabelecer suas atividades em outras comunidades contribuindo, assim, para o intercâmbio de integração cultural e capacitação profissional, uma vez que deverão ser instrumentalizados para ministrar oficinas bem operar aparelhagem de sonorização e iluminação. Estes alunos receberão ajuda de custo (bolsa) e vales-transporte, além do acompanhamento dos professores de música.

e) na interlocução constante com outros agentes do poder público e instituições na busca pela integração, qualidade e eficiência das ações culturais e educativas. A interlocução tem o objetivo de conscientizar e educar o próprio poder público para a realização de atividades diferenciadas.

f) formação de uma Bauteca (Musicoteca Volante), contendo materiais didáticos, livros, CDs, DVDs, partituras e aparelho de som. Esta Bauteca será formada por Caixas-Estantes que acompanharão as apresentações dos grupos musicais a serem realizadas no circuito permanente de intercâmbio, ficando à disposição da escola visitada durante o período de duas semanas.

g) Formação de uma equipe de capacitação pedagógica (professores-assessores), integrada por educadores da rede municipal de ensino. Esta equipe atuará junto aos alunos-monitores, dando suporte emocional e pedagógico para sua atuação. Será também responsável pela realização de oficinas e seminários junto aos demais professores da rede, bem como integrar-se às atividades da SMED e SMC ligadas à área. Esta equipe também viabilizará a criação, a produção de repertório musical para as escolas da rede, a realização de arranjos musicais para os grupos e possíveis publicações, tais como a edição de livros, partituras e CDs.

Quem serão os professores-assessores?

Os professores-assessores são educadores musicais da rede municipal de ensino que possuem lotação de trinta ou quarenta horas, sendo 20 horas numa escola e 10h ou 20h na Smed. Desta forma, o professor possui residência fixa numa escola de ensino fundamental, além de ser itinerante em outras escolas (incluindo EMEIs) e instituições (Smed, SMC, etc), através da ESCOLA DE MÚSICA DE PORTO ALEGRE. Este novo modelo de lotação possui diversas vantagens, entre elas:
• Possibilitar que todas as escolas do município sejam atendidas por um educador musical;
• Considerar que a educação musical pode ocorrer de forma diferente nos diversos espaços da rede, seja dentro da sala de aula, seja através de projetos;
• Possibilitar ao educador musical a compreensão da rede municipal como um todo que expande à própria noção de escola;
• Possibilitar que cada educador musical supervisione e dê suporte a projetos que envolvam mais profissionais ligados à música, sejam eles professores, músicos, oficineiros, monitores ou estagiários;



Objetivos Gerais:

• Proporcionar ações de educação musical que sejam continuadas e abrangentes;
• Fomentar iniciativas do poder público na área de Educação Musical, dando suporte técnico e financeiro a projetos já existentes;
• Incentivar a realização de convênios com instituições de ensino superior no que se refere à pesquisa, extensão e ensino, possibilitando aos estudantes universitários a realização de estágio de prática docente;
• Articular governo municipal, sociedade civil e iniciativa privada em ações conjuntas, solidárias e permanentes;

A ESCOLA DE MÚSICA DE PORTO ALEGRE:

A ESCOLA DE MÚSICA DE PORTO ALEGRE é uma iniciativa que visa articular e expandir as ações já existentes na RME. Não se trata da construção de um prédio que abrigue uma escola específica de música. Trata-se da articulação de todas as atividades relacionadas ao ensino de música e formação profissional num mesmo corpo de planejamento e execução, considerando-se os mais diversos espaços e fazeres musicais.
A ESCOLA DE MÚSICA descentralizada e composta de, inicialmente, cinco módulos:
Módulo Orquestra: (flauta e cordas)
- Orquestra de Flautas Villa-Lobos – Lomba do Pinheiro
- Orquestra da EMEF Nª Srª de Fátima – Villa-Lobos
- Grupo Instrumental da EMEF Ildo Meneghetti
- Grupo da EMEF Nª Srª do Carmo
-

Módulo Banda: (sopros)
- Banda da EMEF Aramy Silva: Maria Luiza
- Banda da EMEF Décio Martins Costa:
- Banda da EMEF Deputado Victor Issler

Módulo Percussão:
- EMEF Aramy Silva
- EMEF Elyseu Paglioli
- EMEF Heitor Villa-Lobos
- EMEF Neusa G. Brizola
- EMEF Migrantes
- Parcerias com Escolas de Samba e Blocos

Módulo Violão:
- EMEF Neusa G. Brizola
- EMEF Migrantes
- EMEF Wenceslau
- EMEF Gabriel Obino
- EMEF Pepita de Leão

Módulo Canto Coral:
- EMEF Heitor Villa-Lobos
- EMEF Chapéu do Sol
- EMEF Pepita de Leão
PROJETO TAMBORILANDO:
TAMBORES EM REDE
CONVERSAÇÕES INTERNACIONAIS
SMED 2007












Leandro Ernesto Maia
APRESENTAÇÃO

O presente projeto propõe a realização de uma apresentação conjunta dos grupos de percussão das escolas da RME de Porto Alegre. Alunos percussionistas participantes de diversos projetos de educação musical da rede - que ocorrem nas mais variadas regiões da cidade - estarão reunidos num mesmo grande grupo compartilhando saberes, trocando experiências e entrelaçando suas trajetórias.
Esta iniciativa caracteriza-se como o início de um grande movimento musical juvenil que pretende difundir a consciência dos tambores, a cultura de paz, a integração e o grande desafio de realizar trabalhos coletivos baseados nos princípios de cooperação e solidariedade.
Realizar-se-á um espetáculo de abertura de vinte minutos de duração, antecedendo o show do grupo “Ultramen” no evento “Conversações Internacionais” promovido pela Smed. O espetáculo possibilitará a integração dos alunos da rede com os artistas conhecidos do público e da crítica. Ressaltamos que o grupo “Ultramen” representa a safra de jovens músicos do cenário gaúcho, reconhecida nacionalmente, sendo um excelente exemplo aos nossos alunos, exemplo que extrapola as fronteiras da música.

META A SER REALIZADAS
• Espetáculo de Abertura do Show da Banda Ultramen, denominado “Tamborilando: tambores em rede”, com duração de até vinte minutos, contando com a participação de aproximadamente quarenta alunos percussionistas.


DESENVOLVIMENTO
A realização de um espetáculo envolve vários fatores que, em conjunto, resultarão no todo: preparação musical, ensaios, concepção cênica, cenário e figurino. Aproveitaremos a oportunidade de abrir o show da “Ultramen” como elemento propulsor de um movimento com tendência à continuidade e desdobramentos.

Participarão alunos das escolas:
• EMEF Neusa G. Brizola – Cidade Escola. Alunos participantes do projeto Som da Cidade. Prof. Leandro Maia
• EMEF Heitor Villa-Lobos – Alunos participantes das Oficinas de percussão da Orquestra de Flautas Villa-Lobos. Prof. Cecília Silveira
• EMEF Migrantes – Cidade Escola. Alunos participantes do projeto Som da Cidade. Prof. Hugo Alejandro Massiotti
• EMEF Aramy Silva – Integrantes da Banda Escolar. Prof. Maria Luiza Oliveira da Cruz
• EMEF Deputado Victor Issler – Integrantes da Banda Escolar. Prof. Arlindo Schloske






PERCUSSIONISTAS CONVIDADOS
A participação dos músicos percussionistas convidados é de extrema importância, pois garantirá fidelidade à linguagem percussiva e a preparação técnica dos alunos percussionistas. Os convidados atuarão como âncoras, faróis de referência. Contribuirão enormemente na concepção, na preparação e na performance do espetáculo. Sua participação, portanto, é imprescindível e deve ser valorizada tendo em vista a importância do evento.
• Dilnei Aires Ferreira (Mimo Aires): Músico e Educador. Baterista e Percussionista com participação destacada em Festivais e projetos sociais.
• Eduardo Guedes Pacheco (Edu Pacheco): Músico e Educador. Graduado em Percussão (UFSM), Mestre em Educação (UFSM). Coordena o Projeto Cabobi (SM).
• Hilton Jorge Machado (Melô). Músico e Educador. Graduado em História (FAPA). Possui intensa trajetória em projetos culturais na Smed, FASC, SMC e OSPA.

CRONOGRAMA DE ENSAIOS
Os ensaios serão realizados no local da apresentação – centro de eventos do parque da harmonia - com a presença de todos os alunos orientados pelos percussionistas convidados. Haverá um encontro musical entre os professores e os percussionistas convidados com o objetivo de conceber o espetáculo e realizar os primeiros arranjos.
ATIVIDADE LOCAL DATA E HORA
Reunião dos percussionistas e professores EMEF Neusa G. Brizola
Dia 09/10 – 3ªf – 10:30
Ensaio Preparatório Centro de Eventos do Parque da Harmonia Dia 11/10 – 5ª f – 9h às 11:30
Ensaio Preparatório Centro de Eventos do Parque da Harmonia Dia 18/10 – 5ª f – 9h às 11:30
Ensaio Preparatório Centro de Eventos do Parque da Harmonia Dia 20/10 – sábado – 14h às 16:30
Ensaio Geral Centro de Eventos do Parque da Harmonia Dia 25/10 – 5ª f – 13h às 14:30
PROJETO SOM-DA-CIDADE



Proposta de Educação Musical para as escolas da Rede Municipal de Ensino.






Leandro Ernesto Maia
professor





Porto Alegre, dezembro de 2006.
PROJETO SOM-DA-CIDADE

Sonda a Cidade.
Sonda o som da cidade.
Alimenta a cidade através de uma sonda, onda sonora.
Sondar, somar, sonhar, sorrir, soprar, silvar,
salivar na sala de aula, silenciar.

APRESENTAÇÃO

O projeto SOM-DA-CIDADE consiste numa proposta de educação musical para a rede municipal de ensino de Porto Alegre feita por um professor integrante desta mesma rede. Visa articular as ações e os movimentos já existentes nas áreas de educação e cultura, numa atuação conjunta e solidária que associe música, cidadania, protagonismo juvenil, formação de platéia e capacitação profissional, além de servir de auxílio a programas de valorização à vida, ações de combate à violência e de inclusão social.
A concepção desta proposta parte do meu histórico de atuação de um professor de música em diferentes projetos entre eles Oficina de Música Jardim Universitário (UFRGS, 1999), CEEE faz Música em Movimento (C.C. 25 de julho, 2001), Descentralização da Cultura (SMC, 2003) e Projeto Ouviravida Alvorada (OSPA, 2004) . Atualmente, como professor de música da E.M.E.F. Neusa Goulart Brizola junto ao projeto Cidade Escola, vivencio a constituição de um projeto piloto de escola integral que tem no ensino das artes parte considerável de sua ação na comunidade.
A partir do meu relacionamento com pais, escolas, associações de moradores, além do convívio acadêmico, da troca de experiências com outros professores, da vivência como representante da classe musical e da trajetória como artista , foi possível perceber como é imprescindível uma atuação conjunta e transversal dos diversos componentes do poder público para que uma ação educacional seja realmente efetiva. A educação passa a ser uma prioridade quando é compartilhada por todas as esferas de governo. Este preceito está em perfeita consonância com o modelo de gestão vigente no município que se baseia na Governança Solidária. Esta proposta visa articular projetos já existentes, tais como Abrindo Espaços para a Cidade que Aprende (AECA), Projeto Cidade Escola, Ações e eventos da Secretaria Municipal da Cultura (SMC), Ações e eventos da Secretaria Municipal de Educação (SMED) além de implementar novas ações específicas de educação musical.
Um conjunto de ações que busca atender os diversos fazeres musicais através do aprendizado específico, da prática musical coletiva, da reflexão. Ler, escrever e entender o mundo num processo profundo de letramento através da música. Dar-se conta de sua própria história e cultura através da apropriação da linguagem musical, rica e polifônica de idéias em diálogo.

O PROJETO SOM-DA-CIDADE CONSISTIRÁ NAS SEGUINTES AÇÕES:

a) no ensino específico de música para alunos da rede municipal através do aprendizado de instrumentos musicais, do canto e da realização de práticas de conjunto tais como a organização de coros, pequenas orquestras e conjuntos de música popular de câmara;

b) o engajamento e a sensibilização dos professores e da comunidade escolar para a importância da música como ciência, arte e linguagem;

c) a realização de um circuito permanente de intercâmbio cultural. Esta ação permanente compreende em apresentações e trocas de experiências entre todas as escolas da rede;

d) protagonismo itinerante, que consiste na formação de um grupo de alunos-monitores maiores de 14 anos, que já participam com destaque em projetos sócio-educativos existentes na rede . Constituirão um grupo de auxiliares para as aulas de música e atuarão junto aos professores nas classes e apresentações, tendo reuniões semanais de preparação junto à coordenação deste projeto. O protagonismo é itinerante uma vez que os alunos terão a oportunidade de estabelecer suas atividades em outras comunidades contribuindo, assim, para o intercâmbio de integração cultural e capacitação profissional, uma vez que deverão ser instrumentalizados para operar aparelhagens de sonorização e iluminação. Estes alunos receberão ajuda de custo (bolsa) e vales-transporte.

e) na interlocução constante com outros agentes do poder público e instituições sobre a importância de ações culturais e educativas, reforçando consciência cidadã e responsabilidade social.

f) formação de uma Musicoteca Volante, contendo materiais didáticos, livros, CDs, DVDs, partituras e aparelhos de som. Esta Musicoteca será formada por Caixas-Estantes que acompanharão as apresentações dos grupos musicais a serem realizadas no circuito permanente de intercâmbio, ficando à disposição da escola visitada durante o período de duas semanas.

g) Formação de uma equipe de capacitação pedagógica, integrada por educadores da rede municipal de ensino. Esta equipe atuará junto aos alunos-monitores, dando suporte emocional e pedagógico para sua atuação. Será também responsável pela realização de oficinas e seminários junto aos demais professores da rede, bem como integrar-se às atividades da SMED e SMC ligadas à área.

h) Surgimento de ações futuras relacionadas à criação e produção de repertório musical para as escolas da rede e possíveis publicações, tais como a edição de livros, partituras e CDs.

Objetivos Gerais:

• Proporcionar ações de educação continuadas e abrangentes;
• Fomentar iniciativas do poder público na área de Educação Musical;
• Incentivar a realização de convênios com instituições de ensino superior no que se refere à pesquisa, extensão e ensino, possibilitando aos estudantes a realização de estágio de prática docente;
• Reunir SMED e SMC em ações transversais e interdisciplinares;
• Articular governo municipal, sociedade civil e iniciativa privada em ações conjuntas, solidárias e continuadas;

Objetivos Específicos:

• Maximizar a utilização espaços culturais e educativos da rede;
• Proporcionar a educação musical através do aprendizado de instrumentos, do canto, teoria e percepção musical;
• Oferecer alternativas de lazer, emprego e renda para as famílias envolvidas;
• Formar e Capacitar jovens protagonistas, que se tornarão multiplicadores musicais em suas comunidades;
• Incentivar o protagonismo musical de professores da rede, engajando sua participação como agentes culturais, contribuindo para seu bem estar e o estabelecimento de novas relações no ambiente escolar;

IMPLEMENTAÇÃO

O PROJETO SOM-DA-CIDADE será implementado gradativamente a partir do estabelecimento de atividades e princípios reavaliados de forma contínua e periódica. Entende-se a necessidade da realização de um projeto piloto com a duração de um ano, avaliado trimestralmente e posterior expansão – a partir da realização de estudos de viabilidade e adaptação à realidade de cada local.
Sugerimos a E.M.E.F. Neusa Goulart Brizola como local de realização do projeto piloto. A escolha desta localidade se deve ao fato desta escola já ter sido eleita para o início do Projeto Cidade Escola, além de contar com um público alvo carente de iniciativas que ressaltem seus valores locais e a formação de lideranças na comunidade.



LOCAL:
Escola Municipal de Ensino Fundamental Neusa Goulart Brizola
PÚBLICO ALVO: alunos do segundo e terceiro ciclos do Ensino Fundamental inscritos.
TURNO: manhã, para alunos que estudam à tarde, atividade de turno complementar.


A implementação do projeto piloto dar-se-á nas seguintes etapas:




PRIMEIRA ETAPA

Caracteriza-se pela estruturação da equipe. Duração: 1 mês

• Seleção e convocação da equipe pedagógica;
• Realização de dois seminários iniciais, contando com a presença de todos os membros da equipe pedagógica para equalizar as expectativas, conhecer melhor a comunidade da escola piloto e proporcionar a troca de experiências entre os profissionais envolvidos. Estes seminários serão realizados na localidade da escola piloto.
• Realização de duas reuniões – manhã e tarde - da equipe pedagógica com profissionais ligados à SMC, tais como sonorizadores, iluminadores, músicos da banda, gestores, oficineiros da descentralização com o objetivo de sensibilizá-los para futuras ações em parceria ligadas ao protagonismo itinerante. Troca de idéias e experiências. Integração profissional das áreas.
• Realização de dois encontros – manhã e tarde - com os professores da escola da localidade piloto, com o intuito de vislumbrar uma boa integração entre a equipe pedagógica e os professores locais, fazendo uma apresentação do projeto, das atividades e dos profissionais envolvidos.

SEGUNDA ETAPA

Caracteriza-se pelo contato direto com as famílias e a comunidade local. Aquisição de alunos. Duração: 1 mês
• Divulgação do PROJETO SOM-DA-CIDADE através de cartazes, banners, panfletos, visitas na comunidade e nas salas de aula. Chamada para as inscrições.
• Realização de dois encontros – manhã e tarde – com todos os pais da escola, com o objetivo de apresentar o projeto, colher impressões, expectativas e incentivar o comprometimento da comunidade. Início da divulgação e do processo de inscrições.
• Realização de atividades de demonstração, aulas abertas, bate-papos de integração entre os professores, crianças e jovens.

TERCEIRA ETAPA

A terceira etapa se caracteriza pelo início das atividades regulares do PROJETO SOM-DA-CIDADE, com ênfase na realização das aulas.
• Formação das turmas e grupos regulares, atendendo critérios como número de alunos por turma/atividade, horários e espaços disponíveis;
• Início das aulas;
• Realização, com os alunos, de visitas a outros projetos como da Orquestra de Flautas Villa-Lobos, Projeto Semear, Conjunto Instrumental Pastor Dohms, e outros.
• Início gradual da implementação das demais ações previstas nos itens c,d,f,g,e,h, das ações do PROJETO SOM-DA-CIDADE;

AVALIAÇÃO

Após realização das três etapas iniciais ocorrerá o processo de avaliação do PROJETO SOM-DA-CIDADE, que terá a periodicidade de três meses e será realizado nas seguintes esferas:

• Avaliação interna da equipe pedagógica;
• Avaliação coletiva de cada turma, feita pelos alunos e pelo professor, registrada por escrito e lida por um representante da turma na reunião de pais;
• Avaliação dos pais, realizada em um encontro convocado para esta finalidade, havendo apresentação musical dos alunos e a leitura das avaliações coletivas das turmas. Será realizada a manifestação dos pais junto à equipe pedagógica e a pactuação de ações conjuntas, adaptações e eventuais modificações e melhorias;

No final do primeiro ano do projeto piloto será realizada a avaliação geral do projeto junto à Secretaria Municipal de Educação e à Secretaria Municipal de Cultura, com pareceres dos membros da equipe de interlocução. Será estudada e viabilidade de expansão do PROJETO SOM-DA-CIDADE para outras escolas, tendo como foco principal o respeito à realidade local e o aproveitamento das características de cada escola.

EQUIPE PEDAGÓGICA:
Equipe Função Situação funcional

Cláudia Mancio
Coordenadora local do PROJETO CIDADE ESCOLA
Prof. SMED

Leandro Maia
Coordenador do PROJETO SOM-DA-CIDADE,
Prof. de Canto Coral, Violão e prática de conjunto
Prof. SMED

Pery Souza
Prof. de Canto Coral, Violão e prática de conjunto
Prof. SMED

Cristina Cavalheiro
Prof. de flauta doce, laboratório musical e prática de conjunto
Prof. SMED

Hilton Machado (Melô)
Prof. de percussão e prática de conjunto
Prof. SEC – necessário cedência ou contratação




Equipe de Interlocução


Pessoas das áreas da educação e cultura vinculadas à administração pública do município de Porto Alegre:




Adriana Fontoura Marques – SMED – Coordenação Cultural
Ana Fagundes – SMC – Secretária Adjunta
Chico Saratt – SMC – Gabinete do Secretário de Cultura
Cristina Rolim Wolffenbüttel – SMED – Tessituras Educativas
Henrique Mann- SMC – Coordenação de Música
Luci Comissoli – SMED – Cidade Escola
Marcelo Nadruz – SMC - maestro da Banda Municipal
Rosa Maria Caldas - SMED – Tessituras Educativas
Valeska Brum – SMED – Cidade Escola

Necessidades Materiais e Recursos Humanos:

• Aquisição de instrumentos musicais – abaixo
• Aquisição de materiais pedagógicos (cadernos de música, estantes de partitura, lápis, borracha);
• Vale-transporte e ajuda de custo (bolsa) para os participantes da ação “protagonismo itinerante”;
• Planejamento de Regime de horas, cedência e contratação dos professores do projeto;
• Materiais de divulgação: cartazes, panfletos, banners,
• Transporte para o “circuito permanente de intercâmbio cultural” e a “Musicoteca Volante”
• Aquisição de CDs e livros junto à SMC/Fumproarte


INTRUMENTOS MUSICAIS E MATERIAIS DE APOIO

MATERIAL PERMANENTE
ITENS QT. UNID. DESCRIÇAO MARCA MODELO VLR UNIT VLR TOTAL
1 PEÇA AGOGO LIVERPOOL TRIPLO CROMADO AGTRC LIVERPOOL 36,90 36,90
1 PEÇA BONGO JENNIFER AMADOR PAR MADEIRA HDO12 JENNIFER 153,00 153,00
2 PEÇA DJEMBE REMO 24X14 TAMBOR AFRO DJ0014 REMO 1.349,00 2.698,00
1 PEÇA SURDO MUSIC 60X24 ALUMINIO MU222 MUSIC 215,00 215,00
1 PEÇA CAIXA LUEN 15X14" GUERRA INOX ARO CROM. RTI15 GUERRA 91,90 91,90
10 PEÇA VIOLAO CONDOR NATURAL NYLON C/ TENSOR C17NT CONDOR 145,00 1.450,00
2 PEÇA CAVACO GIANNINI ACUSTICO GCSE17AC GIANNINI 195,00 390,00
2 PEÇA PANDEIRO CONT.MAD.10" COURO 20C CONTEMP. 135,00 270,00
2 PÇA TAMBORIM IZZO IZ3691 IZZO 23,90 47,80
1 PEÇA GANZA LIVERPOOL 38X160 MEDIO GC160 LIVERPOOL 12,90 12,90
1 PEÇA XILONE JOG 13 TECLAS MAD. BAIXO P2165 JOG 579,00 579,00
1 PEÇA RADIO COM CD NKS MP3 PCD5600 NKS 189,00 189,00
1 ARMÁRIO GRANDE DE METAL COM CHAVE 1,75x0,75x0,33 299,90 299,90
2 ESTANTE DE AÇO 1,98x0,92x0,27 79,90 159,80
6.593,20

MATERIAL DE CONSUMO
ITENS QT. UNID. DESCRIÇAO MARCA MODELO VLR UNIT VLR TOTAL
40 4 KIT SUPORTE RMV P/ SURDO PSU0031 RMV 85,00 340,00
1 PEÇA TRIANGULO MUSIC 30 CM 8MM ALUMINIO MU078. MUSIC 10,90 10,90
4 PEÇA OVO MARCA TURBO CHN CHN CHN 5,90 23,60
1 PEÇA COWBELL CSR CB5/5 CSR 35,90 35,90
1 PEÇA CAXIXI IZZO DUPLO BAHIA IZ4992 IZZO 54,90 54,90
1 PEÇA MANIVELA IZZO P/ TARRACHA IZ538 IZZO 5,50 5,50
10 PEÇA APOIO PARA VIOLONISTA IZ662 36,90 369,00
2 PEÇA ENC. CANARIO VIOLAO NYLON GENW CANARIO 7,50 15,00
2 PEÇA ENC. SÃO GONÇALO CAVACO NIQ IZ5131 SÃO GONÇALO 6,90 13,80
1 PEÇA BAQUETA CONT. SURDO D 3 MAD. 31AC CONTEMP. 14,90 14,90
1 PEÇA VASSOURINHA LIVERPOOL NYLON PAR BA340 LIVERPOOL 46,90 46,90
2 PEÇA BAQUETA STAGG MAPLE MADEIRA SM5A SM5A STAGG 6,50 13,00
1 PEÇA BAQUETA IBANEZ TIMPANI TIMPANI IBANEZ 22,90 22,90
2 PEÇA CAPA MUSIC PANDEIRO 10" 11" 12" 13" MU026 MUSIC 7,50 15,00
30 PASTA COM FOLHAS DE PLÁSTICO 12,00 360,00
1.341,30
FLADEM – FORO LATINOAMERICANO DE EDUCACIÓN MUSICAL

Título del taller
Cancionística: Poética de la canción brasileña (taller-concierto)

Presentación o copete
Comprensión de la canción como un fenómeno de características interdisciplinarias, favorable a la creación y el análisis musical, textual y lingüística. Una excelente manera de conocer la cultura brasileña, donde la canción popular es una forma de pensamiento.

Nombres y apellidos
Leandro Ernesto Maia

Títulos que posee
Maestro en Letras: Literaturas Brasileña, Portuguesa y Luso-africanas (UFRGS);
Especialista en Letras: Praxis de la Creación Textual (Uniritter);
Licenciado en Educación Artística, Hab. Música (UFRGS);
Músico, profesor y cantautor.

Institución a la que representan y/o pertenecen
Fórum Permanente de Música do RS (GT-Formação)
Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre

Objetivos del Taller
El objetivo de este taller es proporcionar un estudio cancional de profundidad, utilizando instrumentales teóricos provenientes de las áreas de Música y Letras, teniendo en cuenta "la canción" como un género en sí, que tiene interfaces con la literatura y con la música al mismo tiempo que se muestra independiente y difícil de clasificar.
Este trabajo se organiza a partir de la creación de una metodología propia, que propone dos puntos de vista analíticos llamados Intramelódico-textualidades (aspectos intracancionales) y Extramelódico-textualidades (aspectos extracancionales). La primera se refiere a la relación interna de los elementos presentes en la canción como texto, melodía, ritmo, armonía, arreglos y la interpretación: la conexión, en sí, entre letra y música en la producción de un discurso cancional. La segunda, considera la presencia de elementos implícitos y explícitos que sean externos a la canción: la relación de una cancón con otras canciones, con la tradición poética Luso-brasileña y de América Latina, la presencia de elementos intertextuales y la posibilidad de diálogo con los elementos de el arte, de la cultura y de los conocimientos derivados de un cuidadoso proceso de la lectura y escucha.

Fundamentación de los aportes del taller al tratamiento de la problemática de la educación musical:
Aunque grande parte de las acciones en educación musical se desarrollen a partir de la utilización de canciones en su repertorio, el estudio de la poética de la canción es bastante reciente en la academia. Componer, cantar, escuchar o estudiar una canción arrolla y desarrolla una gama de habilidades y conocimientos musicales, textuales y lingüísticos. Este taller tiene por base la investigación “Quereres de Caetano: da canção à Canção”, tesis de maestría de Leandro Ernesto Maia, que sistematiza aportes de la musicología y de la teoría de la literatura – además de su experiencia como cantautor, profesor y director de coros de jóvenes – que sean aplicables a la enseñanza.

Aprendizajes que se espera favorecer a partir de la acción y la reflexión:
A partir del estudio de la poética de la canción – que arrolla gestos compositivos desde la “pintura de palabras” y el “paralelismo semántico” hasta el arreglo, armonía, interpretación y ritmo – provocar un proceso activo de escucha musical calificada, que contemple la totalidad de la obra (letra y música). Propiciar un abordaje creativo e imaginativo de la canción, incentivando su utilización en clases y talleres. Compartir un poco de la cultura brasileña, comprendiendo la importancia que la canción he logrado en Brasil y en la identidad de su pueblo.

Cantidad de participantes:
Mínimo: 05 Máximo: 150

Breve descripción de las acciones:
Realización de encuentros en forma de taller-concierto para educadores musicales e interesados. Exposición dinámica de aportes teóricos del estudio de la canción en Brasil. Métodos de análisis de la canción. Comprensión de la importancia de la canción para la cultura brasileña y latinoamericana.

Características (deseables) del espacio a utilizar:
Espacio amplio y agradable con buena iluminación y acústica.

Materiales tecnológicos requeridos:
Reproductor de CD-R/MP3
Multimedia compatible con Notebook;
Teclado o piano (si hay)
Micrófonos y amplificación para guitarra (si necesario)

Materiales (de consumo) requeridos
Fotocopias para los participantes;

Recursos que aportarán los responsables
Notebook;
Discos;
Guitarra;
Partituras y letras;

Duración:
2 jornadas de 2 horas = total 4 horas
(El taller, por criterio de FLADEM o la programación del encuentro, puede ser extender hasta 8 horas)
EDUCAÇÃO
Alunos municipais abrem show da Ultramen e Gabriel, O Pensador
Hoje, 13, às 15h30, o grupo de percussão Tamborilando, com alunos das escolas municipais de Ensino Fundamental Vila Monte Cristo, Neusa Goulart Brizola, Aramy Silva, Migrantes, Heitor Villa Lobos, Décio Martins Costa e Professor Elyseu Paglioli, abrirá o show de encerramento das "Conversações internacionais: composições do pensamento educacional", no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.

Para o grupo, será um momento especial abrir o show da Banda Ultramen e de Gabriel, O Pensador, que sobem ao palco a partir das 16h. "Essa expressão da música é forte na rede municipal de ensino por causa dos professores que incentivam esse potencial, promovendo experimentações e desenvolvento potencialidades", frisa a coordenadora geral do evento, Teresinha Xavier.

Para o show, o Tamborilando recebeu recursos da Secretaria Municipal de Educação (Smed), investidos no figurino multicolorido do grupo, desenhado pelo coordenador do grupo, professor Leandro Maia, e pela professora de Artes da escola Professora Ana Íris do Amaral, Ângela Lopes.

"Gabriel fez questão de estar junto com os alunos. Partiu dele a idéia de participação com a banda", afirma Teresinha. "Esse evento, na sua concepção, reveste-se de maior importância porque privilegia o fazer da escola e o protagonismo dos alunos. Mostrará à cidade o quanto é importante dar esse espaço de visibilidade, apresentando o que uma escola pode fazer e qual é o seu papel", destaca.

O Tamborilando reúne grupos de alunos percussionistas da rede municipal. Suas atividades proporcionam a troca de experiências e a criação de um movimento musical jovem na rede. A junção de músicos foi feita especialmente para o evento "Conversações internacionais." Para o coordenador do grupo, Leandro Maia, o evento é um grande ponto de encontro cultural da rede.