domingo, abril 5

Zero Hora - 1º de Abril de 2009 - Renato Mendonça comenta o Unimúsica

MÚSICA
De olho na canção
Arnaldo Antunes abre o projeto Unimúsica 2009

Arnaldo Antunes abre a série Cancionistas, do projeto Unimúsica 2009, com um debate, hoje, e um show, amanhã (os ingressos para o show já estão esgotados). Depois dele, a série tem programado até novembro apresentações de Fred Martins, Daniel Drexler, Kristoff Silva, Leandro Maia, Kassin + 2 (com Domenico Lancelotti e Moreno Veloso), Richard Serraria e Lenine. Mas a principal atração será a canção.Essa legião de cancionistas, convocada em lugares tão distantes como Rio, São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Uruguai, terá a tarefa de mostrar que a canção não é apenas uma obra de música popular mais lenta, às vezes romântica, com letra “difícil”. Na definição do músico e pesquisador Luiz Tatit, o cancionista na verdade é um equilibrista, entretido no desafio de fazer letra e melodia se complementarem e se reforçarem, tomando emprestado da fala cotidiana inspiração, inflexões, termos e ritmo. Além de shows, o Unimúsica prevê oficinas com artistas e debates com Carlos Sandroni, Guilherme Wisnik e Francisco Bosco.Um dos exemplos clássicos da integração letra e melodia está em Beatriz, de Chico Buarque e Edu Lobo. Embora Chico negue que tenha tido essa intenção, alguns de seus versos são a mais perfeita tradução do que significa uma canção: uma nota aguda da melodia coincide com “Se ela dança no sétimo céu”, enquanto um tom grave marca “Me ensina a não andar com os pés no chão”. As melodias de Gilberto Gil durante a Tropicália, liquidificando ritmos, pífaros e Beatles, podem ser entendidas como reflexo de uma sociedade que se modernizava rápida e brutalmente. Outro exemplo brilhante é a melodia escura de Sinal Fechado, de Paulinho da Viola, que ilustra o diálogo entre dois amigos engarrafados na vida e na rua.
Os nomes que estarão no palco do Salão de Atos da UFRGS também seguem essa receita – cada um a sua maneira, como devem fazer os cancionistas de verdade. Arnaldo já passeou pelo rock do Titãs e pelo pop dos Tribalistas. Daniel Drexler segue a trilha de seu irmão famoso e oscarizado, Jorge, assumindo que a bossa nova pode conversar com a murga (ritmo carnavalesco uruguaio). Em seu primeiro e ótimo CD, Palavreio, Leandro Maia entremeou canções com poesia. Talvez tudo se resuma aos versos de Samba e Leveza, parceria entre Lenine e Chico Science: “Foi na leveza / Só sentimento / E me entregou suas palavras / Como quem dava um pedaço”.
RENATO MENDONÇA
A PRIMEIRA ETAPA DO PROJETO
Hoje, a partir das 19h – Arnaldo conversa sobre a Canção com o escritor e professor Luís Augusto Fischer no Salão de Atos da UFRGS (Avenida Paulo Gama, 110). A entrada é franca, e a sala estará aberta a partir das 18h.
Amanhã, às 19h – O artista faz show no Salão de Atos da UFRGS. Os ingressos se esgotaram na segunda-feira.

Nenhum comentário: