segunda-feira, março 17

DIRETRIZES PARA UM

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MUSICAL DA RME DE PORTO ALEGRE


PORTO ALEGRE, NOVEMBRO DE 2007.





APRESENTAÇÃO


O presente documento representa um passo definitivo para a construção de um Programa de Educação Musical para o município de Porto Alegre. É o resultado de uma série de ações e debates ocorridos entre os professores de música na rede em consonância com músicos e educadores de todo o país, reunidos através da ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical) e FPM (Fóruns Permanentes de Música de todo o país através dos Grupos de Trabalho de Formação).
O Programa de Educação Musical de Porto Alegre parte do reconhecimento da enorme potencialidade de nossas escolas e comunidades, ao mesmo tempo em que compreende a necessidade de articulação e fomento destas potencialidades por parte do poder público do município. A Educação Musical – que tem a vocação de transversalizar diversas esferas do governo como educação, cultura, juventude e assistência social – deve ser articulada como política de Estado que garanta o acesso de todos.

JUSTIFICATIVA

A adoção de um Programa de Educação Musical é uma iniciativa que traz benefícios para a cidade como um todo. Uma verdadeira obra de infra-estrutura musical. Um grande plano-diretor cultural. Uma tomada de consciência do poder público para as questões da arte como conhecimento e mercado. Educação Musical, formação de público, fomento ao turismo cultural, geração de emprego e renda, incentivo ao consumo cultural de bens e serviços são decorrência do investimento em educação musical. A consolidação da identidade da cidade como capital cultural do Mercosul, onde orquestras, escolas de samba, regionais de chorinho e grupos nativistas se encontram, se potencializa enormemente através de um programa educacional amplo e dinâmico. Além disso,
1. A música é uma forma específica de conhecimento e uma manifestação cultural presente em todas as sociedades humanas.
2. A música é fruto da interação social e é essencial para o desenvolvimento do ser humano.
3. A Educação Musical é um direito de todos. Como tal, deve ser garantida no espaço escolar e oferecida para todas as idades através de atividades que contemplem as diversidades.

O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MUSICAL DE PORTO ALEGRE CONSISTIRÁ NAS SEGUINTES AÇÕES:

a) no ensino específico de música para alunos da rede municipal através do aprendizado de instrumentos musicais, do canto e da realização de práticas de conjunto tais como a organização de coros, pequenas orquestras e conjuntos de música popular de câmara. Esta iniciativa será articulada através da Escola de Música de Porto Alegre ;

b) o engajamento e a sensibilização dos professores, da comunidade escolar e dos gestores públicos para a importância da música como ciência, arte e linguagem;

c) a realização de circuitos de intercâmbio cultural por meio de apresentações e trocas de experiências entre as escolas e grupos musicais da rede;

d) protagonismo itinerante, que consiste na formação de grupos de alunos-monitores maiores de 14 anos, que já participam com destaque em projetos sócio-educativos e de conjuntos musicais existentes na rede . Constituirão um grupo de auxiliares para as aulas de música e atuarão junto aos professores nas classes e apresentações, tendo reuniões semanais de preparação. O protagonismo é itinerante uma vez que os alunos terão a oportunidade de estabelecer suas atividades em outras comunidades contribuindo, assim, para o intercâmbio de integração cultural e capacitação profissional, uma vez que deverão ser instrumentalizados para ministrar oficinas bem operar aparelhagem de sonorização e iluminação. Estes alunos receberão ajuda de custo (bolsa) e vales-transporte, além do acompanhamento dos professores de música.

e) na interlocução constante com outros agentes do poder público e instituições na busca pela integração, qualidade e eficiência das ações culturais e educativas. A interlocução tem o objetivo de conscientizar e educar o próprio poder público para a realização de atividades diferenciadas.

f) formação de uma Bauteca (Musicoteca Volante), contendo materiais didáticos, livros, CDs, DVDs, partituras e aparelho de som. Esta Bauteca será formada por Caixas-Estantes que acompanharão as apresentações dos grupos musicais a serem realizadas no circuito permanente de intercâmbio, ficando à disposição da escola visitada durante o período de duas semanas.

g) Formação de uma equipe de capacitação pedagógica (professores-assessores), integrada por educadores da rede municipal de ensino. Esta equipe atuará junto aos alunos-monitores, dando suporte emocional e pedagógico para sua atuação. Será também responsável pela realização de oficinas e seminários junto aos demais professores da rede, bem como integrar-se às atividades da SMED e SMC ligadas à área. Esta equipe também viabilizará a criação, a produção de repertório musical para as escolas da rede, a realização de arranjos musicais para os grupos e possíveis publicações, tais como a edição de livros, partituras e CDs.

Quem serão os professores-assessores?

Os professores-assessores são educadores musicais da rede municipal de ensino que possuem lotação de trinta ou quarenta horas, sendo 20 horas numa escola e 10h ou 20h na Smed. Desta forma, o professor possui residência fixa numa escola de ensino fundamental, além de ser itinerante em outras escolas (incluindo EMEIs) e instituições (Smed, SMC, etc), através da ESCOLA DE MÚSICA DE PORTO ALEGRE. Este novo modelo de lotação possui diversas vantagens, entre elas:
• Possibilitar que todas as escolas do município sejam atendidas por um educador musical;
• Considerar que a educação musical pode ocorrer de forma diferente nos diversos espaços da rede, seja dentro da sala de aula, seja através de projetos;
• Possibilitar ao educador musical a compreensão da rede municipal como um todo que expande à própria noção de escola;
• Possibilitar que cada educador musical supervisione e dê suporte a projetos que envolvam mais profissionais ligados à música, sejam eles professores, músicos, oficineiros, monitores ou estagiários;



Objetivos Gerais:

• Proporcionar ações de educação musical que sejam continuadas e abrangentes;
• Fomentar iniciativas do poder público na área de Educação Musical, dando suporte técnico e financeiro a projetos já existentes;
• Incentivar a realização de convênios com instituições de ensino superior no que se refere à pesquisa, extensão e ensino, possibilitando aos estudantes universitários a realização de estágio de prática docente;
• Articular governo municipal, sociedade civil e iniciativa privada em ações conjuntas, solidárias e permanentes;

A ESCOLA DE MÚSICA DE PORTO ALEGRE:

A ESCOLA DE MÚSICA DE PORTO ALEGRE é uma iniciativa que visa articular e expandir as ações já existentes na RME. Não se trata da construção de um prédio que abrigue uma escola específica de música. Trata-se da articulação de todas as atividades relacionadas ao ensino de música e formação profissional num mesmo corpo de planejamento e execução, considerando-se os mais diversos espaços e fazeres musicais.
A ESCOLA DE MÚSICA descentralizada e composta de, inicialmente, cinco módulos:
Módulo Orquestra: (flauta e cordas)
- Orquestra de Flautas Villa-Lobos – Lomba do Pinheiro
- Orquestra da EMEF Nª Srª de Fátima – Villa-Lobos
- Grupo Instrumental da EMEF Ildo Meneghetti
- Grupo da EMEF Nª Srª do Carmo
-

Módulo Banda: (sopros)
- Banda da EMEF Aramy Silva: Maria Luiza
- Banda da EMEF Décio Martins Costa:
- Banda da EMEF Deputado Victor Issler

Módulo Percussão:
- EMEF Aramy Silva
- EMEF Elyseu Paglioli
- EMEF Heitor Villa-Lobos
- EMEF Neusa G. Brizola
- EMEF Migrantes
- Parcerias com Escolas de Samba e Blocos

Módulo Violão:
- EMEF Neusa G. Brizola
- EMEF Migrantes
- EMEF Wenceslau
- EMEF Gabriel Obino
- EMEF Pepita de Leão

Módulo Canto Coral:
- EMEF Heitor Villa-Lobos
- EMEF Chapéu do Sol
- EMEF Pepita de Leão

Nenhum comentário: